Os avanços da solução Contrail para SDN/NFV, na opinião de seus usuários.

Publicado em Automação, Palavra do Cliente, por Juniper em 30/05/2016


Quando a Juniper comprou a Contrail Systems, no final de 2012, seu objetivo era dar uma resposta aos desafios de networking e escala existentes nos ambientes de nuvem dos clientes. Desde então, a equipe do Juniper Contrail tem se dedicado a conquistar clientes que usam a nuvem: provedores de serviços em nuvem, empresas de software como serviço (SaaS, software-as-a-Service), corporações e operadoras de telecomunicações. Além da variedade de usuários, a equipe tem procurado criar funções que deem a seus produtos e clientes a capacidade de operar redes na nuvem em larga escala.

As afirmações acima são de Pratik Roychowdhury, gerente de produto Contrail da Juniper Networks, que compartilhou, em um recente artigo em seu blog, os avanços do Contrail, apresentados no OpenStack Summit, realizado em Austin, Texas (EUA).  No artigo, Roychowdhury destaca:

“A Contrail Networking é uma solução open-source de automação de rede que permite a provedores de SaaS construir nuvens de larga escala e às empresas fazerem a transição para novos ambientes de nuvens. A família de produtos Contrail também possibilita aos provedores de serviços implementar nuvens escaláveis de nível operadoras que acabam com limites geográficos e, ao mesmo tempo, operam funções de rede e de segurança com maior desempenho e resiliência.”

A plataforma Contrail da Juniper trabalha com Openstack – a tecnologia provê capacidade de virtualizar funções de rede (NFV) de forma dinâmica – para permitir aos provedores criar e gerenciar serviços virtuais de rede. Por se basear em padrões abertos, o Contrail Juniper simplifica o gerenciamento da rede virtual e permite a criação de cadeias de serviços dinâmicas envolvendo múltiplos NFVs com boas análises, além de permitir a conectividade de ambientes virtuais, físicos ou baseados em container.

Entre os avanços do Contrail mencionados por Roychowdhury e apresentados à comunidade OpenStack no evento de Austin está o firewall cSRX, baseado na tecnologia container e destinado a redes SDN. O  cSRX provê IPS, UTM e serviços de segurança de redes de nova geração tudo em um container Docker (projeto OpenSource que fornece uma plataforma para desenvolvedores e administradores de sistemas, permitindo que se crie containers). A tecnologia container possibilita uma maior densidade em um único servidor em relação a máquinas virtuais baseadas em NFV.

Palavra do Cliente

Durante o OpenStack Summit, grandes usuários da tecnologia Juniper Networks relataram suas experiências e atestaram o desempenho da plataforma Contrail nas redes SDN/NFV. Entre eles, Paul Carver, principal arquiteto técnico da AT&T compartilhou sua visão sobre a implementação do Contrail Juniper.

“Vou falar apenas sobre o apoio à transformação que a (plataforma) Contrail dá à AT&T. Várias pessoas que estão implantando nuvem escolhem SDN para seu data center, ligada a uma WAN, que é problema de um terceiro. Bem, nós somos o terceiro, a WAN é problema nosso. Temos grandes data centers, mas isso não importa. O que vale é o que estamos virtualizando a WAN, as funções que transformam a WAN em uma única rede”, relatou.

O arquiteto da AT&T também destacou que, com o Contrail, as funções da rede virtual “falam” com os protocolos de roteamento dinâmico (BGP - Border Gateway Protocol, utilizados para comunicação entre sistemas autônomos). “Podemos adiantar que a visão, aqui, é totalmente bidirecional, a função virtual da rede poderá aprender rotas da Contrail que sejam o roteador.” Ele esclareceu que esse processo ainda não está completo, mas adiantou que uma transformação fundamental na rede é colocar o MPLS através da rede para que seja um NAP (Network Access Point) e transformar toda a rede em MPLS nativa. “Estamos olhando experiências de uso que empurram tudo para fora da borda”, comentou.

A AT&T trabalha com o que chama de Domain 2.0, uma iniciativa de transformação interna e externa, que permitirá o uso, provisão e orquestração dos serviços de rede e infraestrutura da operadora como se fossem serviços de nuvem em data centers. Em poucas palavras, o Domain 2.0 tem o objetivo de transformar os negócios de rede da AT&T de seu estágio atual para um estágio futuro. A Juniper foi escolhida como fornecedor de rede de nova geração NFV/SDN pela AT&T. Para ver o depoimento completo de Paul Carver veja o vídeo.
 



Além da AT&T, outros provedores de serviços adotaram a NFV Juniper, conforme citado no evento. Conheça algumas opiniões:


“A Juniper foi nomeada parceira-chave de tecnologia para nossa estratégia SDN”, Roger Gurnani, CIO da Verizon.
 

“Estamos muito satisfeitos com a Contrail Solution Juniper”, Adam Skotnicky, CEO da TCP Cloud.
 

“A integração das tecnologias Juniper como hub de serviços proporciona mais flexibilidade para introduzir novas funções para nossos clientes”, Paolo Fasano, Data Network Innovation da Telecom Itália.

 

Leia também
Para as Telcos, o Contrail é o caminho para a transição do velho para o novo mundo em direção à nuvem

 

 


Tags: Contrail, OpenStack, SDN, NFV, Data Center, Automação, Redes Virtuais, Nuvem


Tags: contrail, openstack, sdn, nfv, data-center, automacao, redes-virtuais, nuvem


Posts Relacionados


Deixe seu comentário:

=