Juniper implanta solução vCPE em operadoras ao redor do mundo

Publicado em Virtualização, por Juniper em 30/05/2016


Muitos provedores de serviços para corporações instalam equipamentos nos escritórios dos clientes, os Customer Premises Equipments (CPEs), para atender necessidades específicas de comunicação de cada empresa.  Com a solução de CPE virtual (vCPE) da Juniper Networks, conhecida como Cloud CPE, os provedores podem, em vez de entregar equipamentos fisicamente, hospedar suas funções na nuvem NFV (Network Function Virtualization, ou virtualização de função de rede) e manter as mesmas características do equipamento físico com mais economia e agilidade.

A diferença entre uma solução e outra é também a possibilidade de oferecer serviços altamente customizados aos clientes e seus usuários finais, com custos bem menores. Este é o motivo pelo qual os casos de uso de vCPE se multiplicam. “Elas resolvem uma lacuna importante para os provedores”, explica Mike Marcellin, diretor geral de marketing da Juniper, “porque reduzem o tempo e os recursos necessários para que os provedores transformem ideias em realidade”.

As soluções de vCPE, acrescenta Marcellin, tornam possível inovar na oferta de serviços porque oferecem uma plataforma de desenvolvimento gráfica, na qual os provedores podem criar novos serviços em segundos e reduzir de meses para minutos o tempo necessário para que esses novos serviços se transformem em novas fontes de receita. Além disso, viabilizam um novo modelo de negócio para as empresas que adotam vCPE, viabilizando os novos serviços pay-as-you-go e diminuindo o tempo de geração de novas receitas dos novos serviços.

 


O caminho para as vCPEs tem três aspectos importantes:

  • Tecnologia – Com tecnologias Juniper, os provedores podem implantar uma plataforma de rede virtual (NFV). É preciso estabelecer o alicerce apropriado: virtualizar ao máximo possível a rede e suas funções, implantar um sistema de orquestração de serviços e desenvolver um portal de usuários.
  • Modelo de negócios – Tão importante quanto definir os elementos tecnológicos é pensar em um modelo de negócios em que os serviços podem ser criados e oferecidos muito rapidamente, sem a necessidade de criar uma infraestrutura física dedicada a cada novo serviço e os custos que isso implica.
  • Operação – Como operar uma rede totalmente virtual? É preciso mudar fluxos de trabalho, processos e competências das operadoras, sendo essas competências menos relacionadas com a logística e os custos de implantação de novos equipamentos e mais relacionadas à criação e à entrega imediata de novos serviços.


Diferentes abordagens
A Juniper participa do movimento de adoção de soluções de vCPEs desde o final de 2012, quando 12 operadoras de diferentes países escreveram um white paper sobre NFV, relata Marcellin. Em 2013 e 2014, as empresas desenvolveram os planos para as suas redes de próxima geração e para o desenvolvimento de seus negócios. Em 2015 foram realizadas as primeiras provas de conceito.

Em 2016, soluções de vCPE entram efetivamente em operação, como na AT&T, com sua rede sob demanda, ou na Orange Business Services, com várias soluções tipo Cloud CPE. “O interessante é que a abordagem da AT&T coloca muita inteligência no dispositivo na casa do cliente, enquanto a Orange optou por uma maior centralização”, observa Marcellin.

Este conhecimento que a Juniper adquiriu ao participar, junto a seus clientes, do desenvolvimento de soluções adotadas por operadoras de diferentes perfis, tamanhos e lugares é um ativo importante da empresa. “A Juniper realiza oficinas com os clientes para discutir não a tecnologia em si, mas os elementos necessários para o crescimento de seus negócios e que serviços podem ser valiosos para eles”, explica Marcellin. “Temos o conhecimento obtido com nosso trabalho em clientes ao redor do mundo.”

Já a solução Cloud CPE envolve muitas dimensões: data center, backbones, ambientes de rede. A Juniper fornece a infraestrutura e também soluções de virtualização. A suíte para vCPE inclui o Contrail Networking, que provê uma plataforma de rede virtual; o Contrail Cloud, que provê uma distribuição Open Stack de processamento e armazenamento; e o Contrail Orchestration, para desenvolver novos serviços em até 69 segundos, com funcionalidade point-and-click-service. “No momento em que serviços desse porte começam a ser oferecidos com mais segurança e  conteúdo, é possível perceber, de fato, o que significa vCPE”, conclui Marcellin.

Segurança
O principal foco da Juniper, em termos de serviços ao cliente final, é no portólio de segurança, como enumera Marcellin: “Virtualizamos nossa plataforma SRX para possibilitar uma oferta virtualizada englobando firewalls, detecção e prevenção de ataques, anti-malware, anti-spam.

Também virtualizamos nosso roteador MX, o Virtual MX, para poder oferecer uma grande variedade de serviços virtuais. Além disso, utilizamos uma plataforma aberta e nossos clientes podem se beneficiar de outros serviços disponíveis no mercado, porque nossa plataforma pode integrar qualquer NFV que rode em x86”.

Para saber mais, assista o vídeo de Mike Marcellin sobre Cloud CPE.

 


 

Mais informações sobre a solução da Juniper Networks para vCPE neste link.

 

 

Leia também
Firewalls mais ágeis e com tecnologia container

 

 

 


Tags: vCPE, Cloud CPE, NFV, Segurança, Serviços, Inovação, Virtualização


Tags: vcpe, cloud-cpe, nfv, seguranca, servicos, inovacao, virtualizacao


Posts Relacionados


Deixe seu comentário:

=