Comunidade de open source cria programa para as telcos

Publicado em Últimas notícias, Artigos, por Juniper em 29/02/2016


Criado há cinco anos, o Open Compute Project (OCP) é uma comunidade de engenheiros mundial, que tem a missão de criar e entregar projetos de servidores, sistemas de armazenamento e equipamentos para data centers para a computação escalável. Desde a sua criação, a organização tem contribuído para o desenvolvimento de níveis sempre maiores de abertura das tecnologias de data centers. Agora, o novo programa é voltado para as operadoras de telecomunicações. O OCP Telco Project é destinado a tecnologias de data centers dos provedores.

Em recente artigo publicado na página do OPC, Jason Tayler, presidente e chairman da diretoria do Open Compute e vice-presidente da área de infraestrutura do Facebook, conta que o projeto Open agora se estende para servidores de redes, armazenamento e Open Rack – o primeiro padrão para bastidores projetado para data centers e integrado às suas infraestruturas, como parte da filosofia “grid to gates” do OCP, um processo de projeto holístico que considera a interdependência  total dos componentes, desde a fonte de energia, até as portas dos chips de cada placa mãe.

O OCP Telco Project é criado com base nos resultados positivos de todos os esforços anteriores da entidade: trata-se de um fórum aberto para atingir os seguintes objetivos:

  • Difundir as exigências técnicas das telcos junto à comunidade OCP;
  • Fortalecer o ecossistema OCP para atender às necessidades de implementação e operacionais das telcos;
  • Levar as inovações OCP para a infraestrutura dos data centers das telcos para aumentar sua economia de custos e agilidade.


Os dirigentes do OCP são otimistas em relação ao potencial do hardware aberto para obter ganhos de larga escala para a indústria de telecom, o que só acontecerá com o aumento da participação de todos os seus integrantes. Atualmente, grandes operadoras já anunciaram sua adesão ao OCP para dar mais eficiência, flexibilidade e customização às tecnologias de data centers, aponta Taylor, que cita AT&T, Deutsche Telekom, EE, SK Telecom e Verizon.

O conhecimento da indústria é muito importante na criação de novas oportunidades e caminhos para colaborar no desenvolvimento de hardware aberto, aponta Tayler. Os integrantes do projeto estão satisfeitos com a adesão da Equinix e da Nexius, o que facilita às telcos obter ganhos de eficiência e de flexibilidade através do hardware aberto.

Segundo Taylor, cada vez que uma nova indústria adota os princípios de abertura e customização do projeto, a comunidade OCP se torna cada vez mais próxima de seu objetivo, o desenvolvimento ainda mais aberto de hardware.

“A AT&T vai virtualizar 75% de suas funções de rede por volta de 2020 e, para conseguirmos isso, precisamos ter um modelo de software sofisticado trabalhando em qualquer hardware,” afirma o vice-presidente sênior de Arquitetura e Projeto da operadora, Andre Fuetsch.

Na opinião de Bruno Jacobfeuerborn, CTO da Deutsche Telekom AG, na medida em que as funções de rede vão para a nuvem, a indústria de telecom caminha para uma enorme transformação. “A eficiência de nossos data centers se torna crítica para o sucesso, eis por que a Deutsche apoia totalmente a adesão da indústria ao OCP,” avalia o executivo.

Por sua vez, além da destinação de recursos e compartilhamento de sua expertise, a Radio Access Networks da EE (empresa do grupo British Telecom) apoia o desenvolvimento de novas abordagens da tecnologia de telecomunicações que possa, de fato, fazer a diferença na construção e implantação de redes de comunicações móveis em mercados desenvolvidos como o do Reino Unido.

De seu lado, Ihab Tarazi, CTO da Equinix, diz que, como uma empresa de interconexão global e de data center, a companhia está satisfeita em colaborar para o surgimento de novas soluções de interconexão e infraestrutura que atendam à demanda por melhorias nas aplicações de mobilidade, big data e análise.  

Na opinião de Lynn Martin, vice-presidente sênior de estratégia da Nexius, a indústria de computação em nuvem introduziu um outro modelo de negócios, estimulada pelas comunidades open source. Os custos de tal modelo são muitíssimo menores e têm maior elasticidade do que a atual infraestrutura utilizada pelos provedores de comunicações.

“Para competir com sucesso e escala neste novo ambiente, as operadoras precisam reforçar as comunidades open source, como o OCP, e incorporar o que elas trazem para suas operações diárias,” afirma Martin. A companhia empenhará sua grande expertise em telecom e TI para impulsionar projetos OCP no coração das redes, oferecendo ferramentas e processos que permitam aos provedores de comunicações e empresas adotar e orquestrar essa nova estrutura operacional com sucesso, destaca Taylor em seu artigo.

 “A 5G, com seus diversos usos, abrirá todo um novo ecossistema para as operações de telecom. A SK Telecom está preparando o futuro através do desenvolvimento de uma infraestrutura aberta e flexível que possa se adaptar às contínuas mudanças na demanda por serviços,” afirma Alex Choi, CTO da SK Telecom. A adesão da companhia ao OCP, observa, é seu primeiro passo nessa direção.
 
Para Mahmoud El-Assir, vice presidente senior e Chief Information Officer de Global Technology Services da Verizon, associar-se ao OCP estimulará o aumento de eficiência da sua infraestrutura, e reforçará o seu compromisso de entregar soluções sempre mais eficazes aos seus clientes.


Fonte: Open Compute Project (http://www.opencompute.org/)

 


Tags:  Projeto Open Compute, OCP Telco, Servidores, Armazenamento, Open Rack, Ganho de Escala, Hardware Aberto, Verizon, AT&T, Deutsche Telekom, Equinix, 5G, Data Center, Open Source, Inovação, Operadores, Service Provider


Tags: projeto-open-compute, ocp-telco, servidores, armazenamento, open-rack, ganho-de-escala, hardware-aberto, verizon, atet, deutsche-telekom, equinix, 5g,


Posts Relacionados


Deixe seu comentário:

=