As empresas estão preparadas – ou despreparadas – para a disrupção digital?

Publicado em Automação, por Juniper em 30/07/2016


A pedido da Juniper Networks, a Wakefield Research entrevistou 2,7 mil altos executivos em oito países – os chamados ITDMs (Information Technology Decision Makers ou tomadores de decisão sobre tecnologias da informação) e BDMs (Business Decision Makers ou tomadores de decisão nos negócios) – a respeito da relação entre as tecnologias da informação e os negócios.
 

O levantamento concluiu que a falta de conexão entre as áreas de TI e os principais executivos não ajuda a preparar as companhias para a chamada disrupção digital – quando novas tecnologias alteram completamente o perfil dos negócios.
 

“Hoje, mais do que nunca, investimentos em tecnologia são vitais para manter a vantagem de um negócio”, pondera Rami Rahim, CEO da Juniper Networks. “Os altos executivos não precisam saber escrever código de software, mas sim dirigir a estratégia de uma empresa para o crescimento. Isso requer um forte relacionamento entre os que definem a estratégia e os que a executam.”
 

De fato, a pesquisa mostra que a falta de investimentos em TI cria barreiras à inovação e impede o ritmo das mudanças e a competitividade dos negócios. O estudo também chama a atenção para a realidade de quanto as empresas estão preparadas – ou despreparadas – para a disrupção digital, que já atingiu algumas indústrias, e conclui que é preciso reforçar os benefícios dos investimentos em automação para agilizar os negócios e colocar as empresas à frente da curva de ruptura.
 

Mais da metade dos consultados (55% dos ITDMs e 51% dos BDMs) acreditam que uma nova tecnologia disruptiva (produto ou serviço) será introduzida em seu segmento nos próximos dois anos. Os departamentos de TI, no entanto, não se sentem preparados para as futuras mudanças. Quase metade dos ITDMs (45%) pesquisados acredita que um quarto ou mais da sua força de trabalho de TI não possui as competências necessárias para ser bem-sucedida daqui a cinco anos.
 

Os consultados (84% dos ITDMs e 84% dos BDMs) admitem que o desempenho de sua organização seria melhor se a diretoria atual tivesse mais conhecimento de tecnologia. Parte dos participantes da pesquisa (46% dos ITDMs e 50% dos BDMs) acredita que sua empresa levaria um ou mais anos para desenvolver um produto, caso tivesse que se defender da iniciativa de concorrentes. Mas esse tempo pode não existir, porque a velocidade da disrupção é muito alta.
 

Mais grave, o legado da infraestrutura tecnológica desacelera o crescimento dos negócios. Mais da metade dos entrevistados no estudo disseram que a infraestrutura de TI de sua empresa pode, muito ou de alguma maneira, ser um obstáculo no desenvolvimento rápido de novos produtos ou serviços.
 

O estudo ainda indica que tanto ITDMs quanto BDMs enxergam a automação em TI e redes como fundamental para as perspectivas e a competitividade de seus negócios – 70% dos ITDMs e 72% dos BDMs afirmam que estão entusiasmados com as oportunidades que a automação de TI e as redes geram para suas empresas. Entre os ITDMs que já usam redes definidas por software (SDN) ou virtualização de funções de rede (NFV), 93% afirmam que isso lhes provê uma vantagem significativa em relação à concorrência.
 

O levantamento contratado pela Juniper Networks foi realizado pela Wakefield Research, por meio de uma pesquisa online da qual participaram executivos dos Estados Unidos, China, Austrália, Japão, Índia, Reino Unido, Alemanha e França.
 

Clique aqui para baixar o estudo completo em inglês.
 

 


Tags: Tecnologia da Informação, Automação, Inovação, Ruptura Digital, Rede, SDN, NFV, Wakefield Research, Pesquisa


Tags: tecnologia-da-informacao, automacao, inovacao, ruptura-digital, rede, sdn, nfv, wakefield-research, pesquisa


Posts Relacionados


Deixe seu comentário:

=